Após desistência de Colômbia e Argentina, Brasil é anunciado como nova sede da Copa América.

 Após desistência de Colômbia e Argentina, Brasil é anunciado como nova sede da Copa América.

Decisão saiu em reunião emergencial online na manhã de hoje. Presidente Jair Bolsonaro deu aval para realização da competição mesmo com país tendo alto número de casos de Covid-19.

Em reunião online realizada na manhã desta segunda-feira, a Conmebol resolveu trazer a realização da Copa América 2021 para o Brasil. A decisão ocorreu após as desistências de Colômbia, em razão dos protestos contra o governo no país, e da Argentina, que abriu mão de sediar a competição ontem, por conta do surto de Covid-19 no país.

Os governos de Equador e Venezuela também enviaram proposta para a Confederação Sul-Americana para sediar o torneio. No entanto, pesou a favor do Brasil, o fato de ter experiência recente na organização da competição (a Copa América 2019 foi realizada aqui), e o fato do país ter estádios de Copa do Mundo ociosos, casos do Mané Garrincha, em Brasília, Arena da Amazônia, Arena Pernambuco e a Arena das Dunas, em Natal.

A mudança foi confirmada após aval do Presidente do Brasil Jair Bolsonaro, e do Presidente da CBF Rogério Caboclo, mesmo com a iminência de uma terceira onda da pandemia, que ainda enfrenta um momento delicado, tendo em média mais de 1800 mortes por dia.

Segundo informações divulgadas pelas mídias, o aval do Presidente da República se deu após pedido do próprio Presidente da CBF, para socorrer a Conmebol, que estimava um prejuízo ainda maior do que já teria pela falta de público nos estádios, e isso acarretaria um prejuízo também para as Confederações Nacionais.

No mês passado, a Conmebol havia anunciado um aumento na premiação do torneio. De US$ 7,5 milhões, valor que o Brasil recebeu como campeão em 2019, agora o vencedor vai embolsar U$ 10 milhões (aproximadamente R$ 57 milhões), além de US$ 4 milhões (cerca de R$ 23 milhões) que cada seleção recebe por participar do torneio.

Após o anúncio, o Governador de Pernambuco Paulo Câmara, anunciou que o estado, um dos citados como uma das possíveis sub-sedes, não vai abrir as portas para a competição, já que enfrentam o pior momento da pandemia. No último domingo, foram registrados mais de 2.100 infectados e 65 óbitos da doença.

Outro dos Estados citados como possível sub-sede, o Amazônas, também tem enfrentado colapsos frequentes no sistema de saúde por conta da pandemia, o que pode acabar inviabilizando a realização de eventos.

Nas próximas horas, o Governo Federal vai enviar para a Conmebol uma lista de exigências, para que o país sedie a competição. Entre elas, estão que só tenha três estados como sede, e que a final seja exclusivamente no Rio de Janeiro, no Maracanã.

Jeferson Almeida

Notícias Relacionadas